Wednesday, December 23, 2009

...tu continuarás longe, a imaginar-me sem me entender.
E a noite continuará para sempre refletida neste espelho..
José Luis Peixoto...In Antidoto*

Monday, December 14, 2009

Ainda ontem...

Ainda ontem nasci, trazia comigo os sonhos de uma vida ainda por descobrir, olhei pela janela da minha casa feita de algodão e colori o céu com as aguarelas feitas de brinquedo, tal a minha meninice, ainda ontem não sabia das coisas feitas de pedra e gelo, apenas sentia os cristais.

O tempo passou tão rápido, olho-me ao espelho, minuciosamente aprendendo a conhecer os traços da minha expressão..deixo o estojo de maquilhagem a beira da cama e contemplo a minha imagem através dos olhos da minha inocência e descubro-me com um novo tom, imito uma marioneta, finjo-me uma boneca e tal e qual um filme a preto e branco, a minha voz não tem som...traduzo a linguagem dos sinais em pequenos fragmentos de vidro e renasço!Ainda ontem, brincava de esconde-esconde, corria para dentro do meu mundo e acreditava que jamais seria encontrada, fantasiava-me de Pierrot e fingia lágrimas não sentidas, porque por dentro ria-me tal a infinitude de ser criança.
Ainda ontem desenhava uma Arvore de Natal com tons violeta, um Pai Natal vestido de branco e um olhar feito de pétalas, abria as inumeras prendas imaginarias ao som da musica que tocava na vitrola de uma loja qualquer...

Nesse dia a magia da Vida ainda era imaculada!
Hoje despeço-me da minha inocência e pinto o rosto de alegria para que não vejam as dores escondidas, contorno varios caminhos a procura de mim...

Ainda hoje acreditei no ontem!

Thursday, December 3, 2009

As vezes é necessário...

As vezes é necessário asas para sentir a liberdade de estar em ti, um manto que me protege do vento lá fora e do fogo para incendiar as cartas do passado...deixa-me sentir as linhas que marcam as tuas palmas, prolongar a vontade de ser a tua identidade, parte do teu rosto e olhar através do teu olhar o mundo lá fora, porque ao penetrar no mais fundo de ti, sou a outra parte desta essência!

Deixa a porta entreaberta dos teus sentimentos, para que possa entrar em bicos de pés para não assustar as vidas passadas de quem te conquistou, leio as escondidas o diário dos teus sonhos, e nesta grandeza ocupo os meus dias na presença do teu espírito adormecido ao meu redor.
O teu perfume cola a minha pele, timidamente aproximo-me das lembranças pintadas de fresco nas paredes desta casa ainda por habitar, rasgo as cortinas para que o Universo flutue como um barco a deriva em mim, deixo as janelas abertas para que a brisa invada os espaços vazios da minha nudez!


Deslizo os dedos a procura do mapa do teu "eu", percorro as fragilidades que se escondem no teu íntimo, abortando as dores e todas as vozes que silenciam os sons da VIDA, contemplo o infinito, pintando a linha do horizonte com as cores do meu pecado.

é necessário um deserto para alcançar todas as almas solitárias e um Oásis para sentir que ao saciar a minha sede após um tempo de espera valeu a pena colar os teus lábios aos meus....