Friday, May 28, 2010

Afinal meu nome é Tristeza...

Existe a tal cumplicidade quando olhamos nos olhos e as lágrimas rolam, como um diálogo mudo entre as emoções e o coração.
Neste encontro inesperado, quando me encontro com a tristeza, finjo que não a vejo, mas os olhos se perdem em infinitas gotas é a tal sensação de boiar no mar, deixando que as ondas nos transportam para um lugar qualquer... Suspiro de alivio, afinal ela esta aqui, a contemplar os motivos de tanta zanga, as razões que levaram a cortar relações comigo mesma, implora que faça as pazes com a minha angústia.
E na obscuridade dos desejos contidos, perco me num labirinto dentro de mim, já não sei mais o caminho de volta, sinto-me sozinha na ilha que eu mesma construi, passo por momentos de pura contemplação, vejo a vida correr e deixar-me para trás.

Será que devo alterar as cores do quadro pintado a caneta esferográfica?
Procuro por aquele lugar onde as letras tornam o "Fim" mais caloroso, depois é só adormecer para não ter que acordar, sinto o calor do fogo a contaminar os sons do meu descanso.
Perco-me em tantas loucuras e um grito que não sai perde-se num tunel a beira da estrada...
No íntimo do meu olhar vejo os raios de Sol, no meu rosto desenhado a mão os rios desaguam no mar, corro ao sabor do vento, sorrio feliz, pelo encantamento do meu estado, vejo o mundo através da bola magica que contorna a minha existência e sei que nasci sem querer...faço desta fatalidade algo especial, porque vim obrigada por um Deus maior que me quis em seu reino, para que andasse no corredor da sua casa e fosse ao encontro de Si!

Sonho com coisas que desconheço, acredito em sonhos, dizem-me tanta coisa, são a harmonia do amor ausente dentro de mim.
Afinal meu nome é Tristeza...
Quero um bouquet de flores para enfeitar a minha sala, um brilho no olhar como forma que a vida me espera para um cafe, no meu lugar preferido...e depois quando anoitecer corro ao encontro das estrelas.

Monday, May 17, 2010

...Vive comigo um amor sem moda
Ou se for de moda, que seja antiga
Me manda uma “cartinha”
Com letras “redondinhas”
Cheias de
“eu te amo”
Me escreve uma poesia
Cheia de “riminha”
Me proponha uma jura
Daquelas que não se fazem:
“Quer ser pra sempre,
Sempre minha?”

-Cáh Morandi-

.

Tuesday, May 4, 2010

Quando descanso?
Descanso no amor...
Madre Teresa de Calcuta♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥