Wednesday, July 30, 2008

Porque choro com a alma...

Porque choro com a alma
E deixo as lágrimas secarem em teu rosto
Porque me dispo quando tenho frio
Quando é do teu corpo que anseio
Mergulho na imensidão deste mar
A procura do teu rosto
E desenho o teu nome
Na areia da praia
Faço amor mesmo ali
Agarrada ao vento que me desperta
Para emoções intensas
Gemidos perdidos
Carícias roubadas e enjauladas
Na selva do meu sentir

Doce a voz que canta
Suspiros perdidos na noite
Teu olhar preso em meu corpo
E eu tua até ao fim...

Monday, July 28, 2008

Desabafo da Dor...



Vamos falar de nos, dos pecados cometidos em nossa mente...sim tens razão...na minha mente! Porque a tua esta vazia de mim, nela construíste uma nova vida e descobriste a essência de um novo corpo deitado no teu leito, repetiste capítulos ultrapassados e historias contadas mas com uma outra pessoa, nisso tenho que dizer que não mudaste, que alteraste apenas o quarto, os lençóis, mas não tu!

Demorei a chegar a esta conclusão, demorei a arrumar os pensamentos nos devidos lugares, a alterar as mobílias dentro de mim, a pintar as paredes das minhas emoções com outras cores e a destruir a fotografia do teu rosto a sorrir, sorrir apenas para mim no meu coração ausente de nos dois!

Gritei comigo mesma, esbofeteei a verdade e escondi o seu rosto com um manto negro, apaguei as luzes e fiquei absorta a sentir-te, a procurar por ti, apalpei o meu corpo, deslizando os meus dedos húmidos nas partes que mais proclamavam o teu nome, e senti a dor de quem se ama só!

E num estrondo tal uma porta que fecha com a corrente de ar, o meu olhar se abriu para um novo mundo, senti vazia de ti, livre de dores e falhas continuas, abracei a a única pessoa digna deste sentir luminoso, a que nunca me abandonou e que me aceitou longe de si por algum tempo...

EU

Saturday, July 26, 2008




Tinha suspirado!

Tinha beijado o papel devotamente.

Era a primeira vez que lhe escreviam aquelas sentimentalidades.

E o seu orgulho dilatava-se ao calor amoroso que saía delas

Como um corpo ressequido

que se estira num banho lépido.

Sentia um acréscimo de estima por si mesma.

E parecia-lhe que entrava enfim uma existência superiormente interessante.

Onde cada hora tinha o seu intuito diferente.

Cada passo conduzia um êxtase.

E a alma se cobria de um luxo radioso de sensações.



Eça de Queiroz (1878)

Wednesday, July 23, 2008

Diario de Mim...


Naquela noite de Verão, enquanto observava a Lua e sonhava com dias melhores, vi-a a mesma hora de sempre com o porte seguro, percorrer o bairro com o seu passo apressado...enquanto o mundo daquela pacata vila preparava-se para dormir, aquela moça de cabelos negros da cor da noite e olhos escuros saia para trabalhar!
******
Imaginava o seu mundo, invejava a sua liberdade de ser quem era, de encarar a vida com a rigidez de uma guerreira!
Nunca soube o seu nome, sua idade e precisamente o número da sua porta, mas sabia que era dançarina, numa dança contínua onde o palco ia consigo para todo o lado!
Na inércia dos meus dias, era lá que queria estar! Na rua doze, onde essa moça misteriosa se apresentava todos os dias, com a sua rotina habitual, mas os aplausos aumentavam, pois ganhava fama e esta fama era intransponível!
******
Foi num dia qualquer que peguei em mim e persegui os contornos de sua sombra, e mesmo neste instante deslumbrei-me com a beleza do seu carácter, li em seus olhos a eterna amargura de quem necessita de alcançar horizontes mais longínquos onde o mundo aplauda do alto de uma montanha.
******
Entrei neste mundo submerso onde a vida não se encaixa nas similaridades de uma vida sem vida, cabisbaixa como se por detrás daquela porta alguém me fosse reconhecer, desci as escadas e senti a música projectar-me, vibrar e pulsar dentro de mim!
O fumo dos cigarros ocultava a existência daquele palco, sentei-me numa mesa vazia, com um copo vazio, tal e qual a minha alma nesta noite...
E como uma explosão, as vozes se calaram em sorrisos entreabertos num rosto iluminado pela sua presença...ela estava ali, uma personagem totalmente diferente de si, as curvas do seu corpo contornavam os passeios de milhares de vida que esperavam pelo seu encanto, numa dança sensual absorta na música, deu cor aquele lugar, pintando cada rosto com tintas invisíveis!
******
O movimento do seu corpo dançava junto a mim, as pétalas dos seus lábios faziam eco na cave dos meus sonhos perdidos, os seios embelezavam a pele num corpo que cimentava o chão, os dedos tocavam os cabelos como ondas em noites de tempestade num erotismo absurdo e imutável, onde a vontade de permanecer dentro de si é o único ar que respiro!
- Bravo!
E as cortinas baixaram...

Monday, July 21, 2008

Não espere que voe
Apenas me jogue do precipício
Quero sentir a adrenalina de estar comigo mesma
Num lugar que desconheço!

Friday, July 18, 2008


A maneira mais fácil e mais segura de vivermos honradamente, consiste em sermos, na realidade, o que parecemos ser
Sócrates

Monday, July 14, 2008

Veste-te de Mim!


Veste-te de mim...
Pintando os meus lábios nus
Com o teu beijo,
Perfuma-me a pele tecendo
As tuas emoções em cada recanto do meu ser!
Desliza no meu íntimo
Invadindo os meus segredos,
Neles guardo um pedaço de ti
No intimo dos meus desejos
Ainda por revelar...
*****
Veste-te de plumas e cetim
Adormece em meu sonhar
Sentindo as lágrimas do meu olhar
No azul dos teus
*****
Ressuscita as flores murchas
Esquecidas no jardim da minha essência
Soletrando versos esquecidos
Na penumbra do meu sentir
*****
Veste-te de mim...
Percorre a camisa de cetim
Na cama vazia
Onde sobejamente
Deito o meu corpo nu
Nesta espera infinita!

Sunday, July 13, 2008

Mais um Miminho...


Este lindo miminho oferecido pela Pandora!!!
Obrigada linda amiga

O mais carinho vai para os seguintes:

Friday, July 11, 2008


As vezes eu ouço passar o vento
e só de ouvir o vento passar vale a pena ter nascido
(Fernando Pessoa)

Wednesday, July 9, 2008

Arte de um Cirurgião


Intimamente ligada a minha solidão,
Busco as tuas mãos como um cirurgião
Que tece fragmentos que reinventam um novo "eu"
Deito-me neste gelo de sentimento
Procurando o calor dos teus dedos
Que passam na minha pele
Esculpindo um novo rosto!
Aponto-te a minha dor, a ferida que não sara
Anestesias-me deixando dissipar
O vazio através do teu desejo firme em mim!
Desperto após horas de sonhos perdidos
Para te encontrar dentro de mim
Com o teu olhar posto no meu
Deixando-me levar pela imensidão
De um orgasmo infinito!

Monday, July 7, 2008


Percorre o meu sorriso
Como uma estrada infinita
Estaciona em mim
Invertendo a lógica dos sentidos
Ultrapassa os limites da velocidade
Sem pressa de chegar a mim...
Não temas a minha insanidade
Pois é a forma mais doce de sentir!

Um presente da Diva



Um mimo cheio de cor de uma amiga muito querida!
Beijo muito terno Diva

Friday, July 4, 2008

Pego o meu barco
Escrevo uma carta nas páginas do mar
Solto as letras em liberdade e contemplo
O pôr-do-sol e busco a canção do mar!
Deixa-me ficar assim a escutar
O violino das ondas a naufragarem em mim
Deixa-me mais uma vez mergulhar em mim
Sentir a paz e o silêncio na profundidade desta praia
Que só o meu sentir grita!
Flutua em meus lábios
Deixando cair os teus braços em meu coração...