Saturday, December 18, 2010

Nestes dias todos os ventos do mundo
sopram na direcção de quem sonha.
Nestes dias a chuva sempre desenha
o rosto de quem amamos!
(Paulo Coelho)

Um beijo doce

Tuesday, October 26, 2010

Confession!

Pelo menos acena em sinal de adeus, para que eu compreenda o Fim!
Devolve-me a outra parte de mim, a que partiu juntamente contigo…não me reconheço assim tão só e nua de desejo.
Diz-me o que fazes com metade de um sentimento, as palavras estão molhadas, as letras indecifráveis a luz do teu olhar!
Quantas vezes fazem amor e que frases feitas se completam na curva do meu corpo?
Como o meu “eu” aceita esta vontade de permanecer em teus braços muda?
Sim, porque a outra parte de mim, ousa gritar, derruba todos os objectos na prateleira do meu sentir, desafia o medo para que os fantasmas de nos dois desapareçam do ar.
Imploro, que devolvas a outra parte de mim, juntamente contigo!

Confesso que nesse instante calarei a voz da ausencia,

que as emocoes perdidas algures neste vasto Universo virao preencher a felicidade de ser completa.

Insisto que olhes para mim…entrelaçada em teus braços, cobrindo a dor com a saudade!

Wednesday, October 20, 2010

'Devemos tombar de amores,
Como se nunca tivessemos sido magoados!
Drew Barrymore

Thursday, September 16, 2010

Imploro ao Tempo que me espere...
Perdi-me dentro de mim!


Thursday, August 26, 2010

Infinitude

Sinto as palavras acariciarem levemente o meu pensamento,
Desvendo o enigma do meu sentir
Pouso os meus lábios em tua pele,
A cor do batom sublinha as letras invisíveis do meu nome
Abraço-te ainda mais forte, colo-me a ti!
Entrego-me plena, intensa e húmida.
Vem...sem pressa, temos a infinitude do Tempo ao nosso dispor!


Wednesday, August 11, 2010

A(MAR)

O mar se esconde para ocultar a sua dor, as ondas desenrolam numa praia deserta, espreitando através das Dunas o Amor dançando a Luz da Lua !
Ao som de uma guitarra que toca algures, o Amor dança abarcado a si mesmo, acariciando suavemente a ausência, repetindo os líricos guardados no baú da sua mente, versos que ditam a história de uma Vida nos braços de um outro alguém, fecha os olhos na esperança de poder ver o rosto que um dia delineou o mapa de sua Vida, onde nele escreveu a morada de seus sonhos, onde as lágrimas desaguavam e as alegrias sorriam...
O Amor deita-se exausto na areia, sentindo o fogo como um cobertor que o protege do frio, contempla o horizonte traçando um risco por detrás das nuvens, conta as infinitas estrelas, apenas as que brilham recordando as inúmeras noites em que aquele abraço o fez apaixonar!
O mar se perde neste sentir, engolindo as lágrimas, sente o coração pulsar de emoções, rasteja os passos, imprimindo marcas de seus pés na areia, ainda com olhos marejados de gotas cristalinas vai ao encontro do Amor, os dois se olham num olhar que se perde na imensidão deste sentir, único, exclusivo, de quem ama sem nada exigir!

Tuesday, August 3, 2010

Os Sonhos Regressam de uma Longa Viagem...


Os sonhos regressam de uma longa viagem,
Colorindo a vida com um pincel magico submerso num arco-íris.
Caminho na noite, pisando a relva fria, escutando as vozes do Universo
Como murmúrios de desejo onde o bafo quente de um beijo, cola-me a pele!

Deito-me nua, neste deserto sem fim,
Deslizando os dedos pintados nas curvas do meu corpo,
Escrevo com letras invisíveis uma lista de pedidos,
Para que quando regressares saibas interpretar o silêncio do meu sentir!
Amo-me através da tua sombra
Invento um rosto, uma voz parecida a tua,
Percorro a estrada do teu ser
Que me leva a intimidade de um orgasmo!

Caminho...agora mais leve e solta,
Acendo as luzes das estrelas para que renasça um novo dia em meu sentir...

Tuesday, July 13, 2010

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.
Carlos Drummond de Andrade

Monday, June 28, 2010

Apenas Contigo!

Viajo em teu rosto, percorro os traços delicados de uma planície, beijo levemente os teus olhos para que eles despertem para mim.
Desnudo-me de mascaras e mergulho no rio das tuas emoções, percorro a estrada da tua vida sentindo o êxtase da entrega absoluta e mágica de ser tua!
Acaricio os teus lábios navegando a deriva...

Entrego-me a ti, sou tua antes da VIDA...domina-me para que eu sinta a vida através dos teus sonhos, sacia a minha sede de ser feliz contigo, apenas contigo...
Abro caminho para que me penetres sem dor, para que me salves deste desejo infinito e mergulhes nos recônditos do meu ser, num mapa ainda por descobrir!

Cola os teus lábios a minha pele, imprime a tua marca como uma tatuagem em mim para que mesmo ausente te tenha em cada parte da minha existência
Sussurro palavras magicas, com aromas de rosas e gotas do meu perfume para que o vento as varra quando sentires o silêncio do Universo num céu sem estrelas!
Desenho nos dois num só rosto, um esboço que enfeito na essência do meu ser, fotografo nossos corpos entrelaçados para que o tempo seja infinito enquanto dure!

Tuesday, June 8, 2010

“Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha,
é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra!
Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha
e não nos deixa só porque deixa um pouco de si
e leva um pouquinho de nós.
Essa é a mais bela responsabilidade da vida
e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso.”
Charles Chaplin

Friday, May 28, 2010

Afinal meu nome é Tristeza...

Existe a tal cumplicidade quando olhamos nos olhos e as lágrimas rolam, como um diálogo mudo entre as emoções e o coração.
Neste encontro inesperado, quando me encontro com a tristeza, finjo que não a vejo, mas os olhos se perdem em infinitas gotas é a tal sensação de boiar no mar, deixando que as ondas nos transportam para um lugar qualquer... Suspiro de alivio, afinal ela esta aqui, a contemplar os motivos de tanta zanga, as razões que levaram a cortar relações comigo mesma, implora que faça as pazes com a minha angústia.
E na obscuridade dos desejos contidos, perco me num labirinto dentro de mim, já não sei mais o caminho de volta, sinto-me sozinha na ilha que eu mesma construi, passo por momentos de pura contemplação, vejo a vida correr e deixar-me para trás.

Será que devo alterar as cores do quadro pintado a caneta esferográfica?
Procuro por aquele lugar onde as letras tornam o "Fim" mais caloroso, depois é só adormecer para não ter que acordar, sinto o calor do fogo a contaminar os sons do meu descanso.
Perco-me em tantas loucuras e um grito que não sai perde-se num tunel a beira da estrada...
No íntimo do meu olhar vejo os raios de Sol, no meu rosto desenhado a mão os rios desaguam no mar, corro ao sabor do vento, sorrio feliz, pelo encantamento do meu estado, vejo o mundo através da bola magica que contorna a minha existência e sei que nasci sem querer...faço desta fatalidade algo especial, porque vim obrigada por um Deus maior que me quis em seu reino, para que andasse no corredor da sua casa e fosse ao encontro de Si!

Sonho com coisas que desconheço, acredito em sonhos, dizem-me tanta coisa, são a harmonia do amor ausente dentro de mim.
Afinal meu nome é Tristeza...
Quero um bouquet de flores para enfeitar a minha sala, um brilho no olhar como forma que a vida me espera para um cafe, no meu lugar preferido...e depois quando anoitecer corro ao encontro das estrelas.

Monday, May 17, 2010

...Vive comigo um amor sem moda
Ou se for de moda, que seja antiga
Me manda uma “cartinha”
Com letras “redondinhas”
Cheias de
“eu te amo”
Me escreve uma poesia
Cheia de “riminha”
Me proponha uma jura
Daquelas que não se fazem:
“Quer ser pra sempre,
Sempre minha?”

-Cáh Morandi-

.

Tuesday, May 4, 2010

Quando descanso?
Descanso no amor...
Madre Teresa de Calcuta♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Thursday, April 22, 2010

Parageemmmmmmmmm!

É assim que me lembro de Moçambique, a terra onde nasci e vivi uma das mais lindas experiencias humanas e onde naturalmente conquistei um mundo melhor dentro de mim.
Vivemos numa sociedade meramente consumista, damos importância aos valores materiais, vivemos a competir com o próximo e para suavizar esta sensação dúbia, damos o nome de ambição!
Mas quando fecho os olhos, toco suavemente nos rostos que me beijaram a face cada vez que comparava a minha vida com o luxo maravilhoso do Universo...
E na expressão feliz e serena de quem habita uma palhota e vive o seu quotidiano de uma forma nobre, que dorme no chão rodeado de quem ama e come uma refeição por dia, que anda quilómetros de distancia a pé, sem dinheiro para o transporte e chega ao trabalho como quem conduziu um Mercedes, deixa o meu coração transbordar de um orgulho extremo de um povo que sabe ser feliz de uma forma magica.

Passo os dedos delicados nas fotografias registadas na minha mente, sacio a fome através dos rostos sorridentes e tímidos que me saudavam, vejo crianças brincarem com rodas de pneus, bonecas com o corpo desfeito, amputadas, brinquedos partidos, vejo-as correr pelo corredor do meu prédio com a alma imaculada de desejos.
Apanho o "Chapa", o único meio de transporte que conheci em Moçambique, lotação máxima de 10 lugares somos quase 15, no entanto observo que estou quase no colo de um passageiro qualquer, as minhas roupas estão amassadas, vamos a uma velocidade
máxima, uma aventura nunca antes sentida, o cobrador vai quase com metade do corpo fora, chego ao meu destino e grito: PARAGEMMMM

Sorrio...fecho o álbum de fotografias e guardo-as na plenitude do meu ser, para me lembrar que não devo exigir o mundo, mas sim a simplicidade de uma VIDA!

Monday, April 12, 2010

Desenho...

Percorro o teu corpo, como uma estrada ao encontro do meu destino...contorno as curvas que me jogam do abismo e sinto a vontade de te ter na imensidão do meu desejo! Colo os meus lábios a tua pele, deixando marcas do meu batom imprimidas em tua alma, repouso o desassossego do "Tempo" nas asas do nosso sentir para que as horas divaguem ao sabor da brisa leve e solta no jardim do nosso ser.




E na estreia deste amor, adormeço o meu olhar na beleza dos teus sonhos,
ouso gritar de alegria, corro sem pressa de chegar, apenas sou tua!
Entrego-me a ti, imploro que dispas sem magoar as emoções retidas no vazio do meu sentir,
Que desfolhes os segredos sem nome no baú do meu espírito
E no espelho do teu olhar contemplo o Amor!
Desenho a esferográfica um esboço do teu rosto,
A VIDA termina de colorir o desenho que deixei em cima da mesa.

Sunday, April 4, 2010

"Are you desirable? Are you irresistible?
Maybe if you drank bourbon with me, it would help.
Maybe if you kissed me and I could taste the sting in your mouth it would help."
(Ben Sanderson, Leaving Las Vegas)

Thursday, March 25, 2010

País maravilhoso...

Brasil, é um País maravilhoso e rico, tanto pela sua beleza natural e infinita riqueza que se pode tirar de um País abençoado por Deus.
Fotografei momentos lindíssimos, paisagens exuberantes de cortar a respiração, convivi com um povo muito espiritual, mergulhei nas ondas de um mar brasileiro e saboreei a diversidade de suas receitas feitas com muito amor.



Naturalmente quis viver emoções fortes, sentir a adrenalina de ser livre como um pássaro e contemplar a beleza pintada a mão de uma cidade cheia de vida, então saltei da Pedra da Gávea num voo de Asa Delta e a sensação é indescritível! Na minha mente, registei uma cidade que parou no tempo, além de não ter feito progressos em alguns aspectos e apesar de ser uma adepta nata da preservação de prédios antigos, vi que a mentalidade dos cariocas vive de "Status" a meu ver, vivendo em Londres numa cidade em que se preza o individualismo, onde as classes se misturam sem se aperceber quem pode e quem não tem, foi um choque cultural assistir a divisão entre o mundo pobre e o mundo rico, quando falo de "status" é a tal ignorância de que se tivermos uma mala Gucci, um casarão e compramos roupas importadas somos bem vistos, se passamos imenso tempo no shopping a passear a nossa beleza, a competir numa sociedade que esquece dos valores mais básicos e envelhece num rosto pintado de cirurgias.
Fiz um Tour na Favela da Rossinha, direi que quis assistir de perto a uma realidade tão preconceituosa, que o pobre apenas mata, sim existe um mundo completamente diferente dentro das favelas, sim existe tiroteio e uma máfia que enriquece da droga, que construíram as suas casas no moro, que sobrevivem de empregos como empregadas de limpeza, ou as vezes do nada...mas no entanto não devemos esquecer que dentro destas favelas existe um povo que vive a sua vida de uma forma honesta, que criou o seu tecto pois não teve oportunidade de o fazer numa outra parte qualquer.
Têm escolas e instituições bancárias, levam uma vida normal, a diferença reside no endereço.
Esta era a realidade que quis conhecer, aprendi a não temer as favelas como também a não temer os casarões
Sim amei o Rio de Janeiro, amei de uma forma completa pois acredito que o cartão-de-visita de qualquer País não esta apenas em conhecer os lugares turísticos mas inter agir com a cultura e as pessoas que marcam qualquer cartão postal!

Tuesday, March 16, 2010

"Tenho que ter paciência
para não me perder dentro de mim
vivo me perdendo de vista
Tenho que ter paciência
porque sou vários caminhos
inclusive o fatal beco sem saida"
Clarice Lispector

Tuesday, March 9, 2010

Órfã

Ontem Carlota contou-me uma historia feliz, aquelas historias tão cheias de magia tal as fotos já amarelas pelo tempo e na qual procuramos abraçar.
Carlota veio ter comigo. ah já havia dito, gosto de me repetir, dizer as coisas mil vezes, para que as palavras se tornem adultas e serenas como a inocência de uma criança..as duas ficamos despertas a ouvir o som da chuva que batia miudinha na janela da meu quarto cor-de-rosa, a minha cor preferida, obvia porque ela transmite a essencia do meu "eu"...
Pois é, Carlota contou-me a tal história quando o meu mundo começou...não sei bem onde terá buscado tal ideia, mas compenetrada e muito atenta apercebi-me que a minha existência era importante para si.
Escutei a sua voz melodiosa, fiquei atenta a observa-la, a estudar os modos delicados e como os objectos permaneciam em suas mãos, tocava neles para descrever mais intimamente os contornos da minha nascença, absorta a contemplar o seu rosto, adormeci sem escutar o fim, nem o meio apenas o principio...Lembro-me deste começo..

- Irina quando nasceste, nesse dia de Outono onde as folhas se renovam e esperam pelo Sol...tu choraste por mim....
Como? Se o teu rosto me era desconhecido...Quando despertei para desculpar por ter adormecido, Carlota já há muito tinha ido embora, senti o vento beijar as minhas faces através da corrente de ar que vinha da porta, sinal que tinha partido e não dissera Adeus, ficou algo por dizer, uma morada para encontra-la e tudo o resto sem graça nem magia.
Todas as noites, ainda procuro saber o que se passou e porque chorei por ela quando nasci....resta apenas o objecto presente na minha cómoda, onde Carlota imprimiu as suas marcas invisíveis e um resto de perfume ficou colado a sua pele feita de porcelana...